Brasil alvo de ataques cibernéticos

Brasil é o 5º maior alvo de ameaças tipo ransomware.
Também conhecidos como vírus de resgate, os ransomwares representam uma grande ameaça às instituições, sendo fonte de receitas expressiva para os hackers, o que os leva a investir massivamente neste tipo de ataque.
Uma vez infectado com este vírus, os dados são criptografados e uma quantia em dinheiro é exigida pelo “sequestrador” para restauração dos arquivos. Este tipo extorsão vem causando prejuízos por todo o mundo, inclusive aqui no Brasil. Isso é o que mostra o relatório da empresa de cibersegurança SoniWall que foi divulgado na quinta-feira (29).
O Brasil se tornou um dos maiores alvos deste tipo de ataque, atingindo a quinta posição, ficando atrás dos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e África do Sul. Segundo o relatório foram 304,7 milhões de ataques detectados de janeiro a junho de 2021. Superando a marca de 304,6 milhões, registradas ao longo de 2020.

Aqui estão algumas dicas para se proteger desta ameaça:
1_bkp

1 – Faça backups constantemente

Tendo seus arquivos salvos e seguros, para o caso de uma eventual restauração, é fundamental. Hoje vários fabricantes oferecem este tipo de serviço onde os dados podem ser salvos em nuvens públicas ou privadas, além é claro, de poder serem salvos em unidades rígidas na própria estrutura do cliente.
2_atualizacao

2 – Mantenha seus dispositivos sempre atualizados.

Utilizar softwares originais e atualizados é uma boa prática de prevenção. São nestas atualizações que as vulnerabilidades são corrigidas e os “packs” de segurança são instalados.
3_antivirus

3 – Utilize um bom software de antivírus.

Essa dica vale não só para computadores e se estende para smartphones, tablets e todos os equipamentos que estão conectados à sua rede.
Este tipo de proteção é capaz de bloquear uma série de malwares e ransomwares impedindo que os usuários abram links, arquivos e sites maliciosos.
4_ssl

4 – Faça navegação segura na web.

Prefira navegar em sites que possuam um certificado digital SSL (Secure Socket Layer), pois assim você tem seus dados protegidos e evita acessar “sites mascarados” criados por criminosos. Além da proteção, os sites com SSL são melhoras classificados nas buscas do Google, deixando os sites desprotegidos no final de sua lista.
5_email

5 – Cuidado com os e-mails.

Desconfie de todos os anexos e links recebidos por e-mails, aplicações e até mesmos nas redes sociais. Se você não tiver a certeza de que são de uma fonte segura, evite a abertura dos mesmos, sempre que possível.
6_atualiz

6 – Otimize seus sistemas e equipamentos com as configurações corretas.

Não basta ter os equipamentos e softwares necessários para acesso à rede com segurança. É fundamental que os recursos de segurança estejam devidamente configurados e habilitados. Isso vale para todos seus ativos de rede, desde um simples roteador até servidores e sistemas.
7_firewall

7 – Utilize um Next Generation Firewall.

Com a evolução e complexidade das ameaças, alguns firewalls, principalmente os baseados apenas em assinaturas, já não são tão eficientes para proteção de sua rede. É necessário que sejam equipamentos “inteligentes” capazes de acessar, não só o cabeçalho dos pacotes, mas sim todo seu conteúdo. Além disso, procure uma solução que ofereça “Sandbox”, que é responsável por testar, em tempo real, os arquivos suspeitos e dar o seu veredito
8_cas

8 – Proteja suas aplicações em nuvem com uma solução de CAS.

Essa dica é fundamental para usuários de aplicações de terceiros como: Office 365, G-Suite, Dropbox, Salesforce, Box, etc. O CAS (Cloud App Security) eleva a segurança de acesso a estas aplicações permitindo que usuários, mesmo em home office, estejam seguros acessando seus arquivos a qualquer hora e de qualquer lugar.
Youtube
LinkedIn
LinkedIn
Share
Instagram